Como delegar funções? Veja os 3 erros mais comuns

Você criou a sua empresa e ela começou a crescer: essa é a hora em que o empreendedor deve aprender a dividir as funções entre a equipe que está se formando. E é nessa hora que muitos empresários erram e impedem o desenvolvimento do próprio negócio.

Afinal, é a sua empresa, que você fundou sozinho. É difícil confiar as atividades do dia a dia aos seus colaboradores e você se sente obrigado a centralizar todas as tarefas. Mas mesmo que você saiba executar todas as funções da sua empresa com perfeição, é preciso entender que trabalhar em equipe é essencial para o bom desenvolvimento do seu negócio.

Quando as funções se acumulam e você precisa designá-las entre seus novos colaboradores, sua primeira tarefa é distinguir o que pode ser delegado e para quem delegar. Por isso é importante, antes de tudo, definir a estrutura da empresa e os profissionais que você deverá contratar. Além disso, é preciso ficar atento para não cometer os principais erros que empreendedores praticam ao delegar funções:

  1. Contratações equivocadas

No processo de contratação, as tarefas e responsabilidades do novo funcionário já deverão estar bem definidas. E é nesse ponto que surge um erro grave: delegar para alguém que não está pronto. Seu colaborador deve ser um profissional preparado para a missão que receberá.

  1. Informações pela metade

A falta de clareza na comunicação aumenta a chance de algo sair errado ao delegar alguma tarefa. Muitos empresários não definem claramente o objetivo da função ou delega em partes, sem explicá-la por completo. Quase sempre, isso acontece porque o empresário quer participar de tudo, delegando as tarefas pela metade e se responsabilizando pelo restante. Essa vontade de participar de tudo acaba se tornando um problema: abala a confiança do seu funcionário e ocupa o seu tempo com funções que podem ser exercidas por outro profissional.

  1. Falsa delegação

Quando um empresário delega, exigindo sua aprovação ou supervisão direta, ele está se enganando. Isso é a falsa delegação, e não dá autonomia ou qualquer responsabilidade para seus funcionários. Além disso, consome seu tempo com verificações, aprovações ou direcionamentos e você não consegue se preocupar com assuntos mais importantes, como o desempenho dos seus colaboradores.