Saiba a importância de separar as finanças pessoais e da empresa

Você sabia que não separar finanças pessoais e da empresa pode trazer prejuízos tanto para o seu negócio como para a sua vida pessoal? Isso mesmo, essa atividade pode afetar o seu orçamento doméstico e também empresarial, pois prejudica o eficaz conhecimento sobre como os seus recursos estão sendo gastos.

Pense na seguinte situação: uma pessoa faz o financiamento de um apartamento no banco e combina de pagar mensalmente mil reais até quitar a dívida. Porém, quando se vê sem dinheiro para despesas do dia a dia, como compras na padaria ou na farmácia,  tira o valor da quantia reservada para o pagamento ao banco. O que acontece em seguida? Essa pessoa, além de não ter controle do que gasta em seu cotidiano, também não terá o dinheiro para pagar o seu empréstimo ao final do mês.

Esse cenário parece familiar para você? O mesmo pode acontecer na sua empresa? Então acompanhe o nosso post e veja como é importante realizar a separação desses orçamentos. Siga a leitura até o fim e fique bem informado sobre o assunto.

Por que separar finanças pessoais e da empresa?

Conforme dito anteriormente, separar as finanças pessoais e da empresa é relevante para não causar impactos negativos nos cofres da organização. Se você faz um curso de pós-graduação e tira o valor da mensalidade do dinheiro do caixa da empresa, por exemplo, poderá não ter os valores necessários para pagar despesas fixas da organização, como o salário dos colaboradores, os fornecedores, compra de produtos de limpeza, entre outras coisas.

Engana-se quem acredita que esse erro é pouco comum, pois muitos empresários cometem essa falha. Em casos extremos, essa ausência de separação e controle pode causar até mesmo o fechamento da empresa. Por isso, se você tem esse hábito, procure parar com essa prática o quanto antes.

Quais são os impactos de não fazer a separação?

Não fazer a separação de finanças da empresa e dos gastos pessoais pode causar alguns danos graves para o seu negócio. Listamos as principais, para que você consiga analisar e perceber como pode estar se prejudicando. 

Dificuldade em observar a lucratividade da empresa

Se você não tiver uma visão clara da lucratividade do seu negócio, dificilmente saberá se a empresa dá lucro ou apenas gera dinheiro para pagar as contas. Isso pode dificultar na tomada de decisões estratégicas, como cortar gastos supérfluos para que sobre mais dinheiro ou fazer investimentos para ampliar o negócio.

É preciso ter em mente que não basta trabalhar e fazer a sua empresa produzir em maior escala, mas sim ter um controle completo, com um relatório que demonstre todas as receitas e despesas do negócio.

Fluxo de caixa insuficiente em períodos críticos

É importante que a sua empresa tenha uma reserva no fluxo de caixa, ou seja, um valor que sirva para “apagar incêndios” nos meses em que a organização, por qualquer motivo, não apresentar a rentabilidade esperada. Lembre-se, alguns negócios são sazonais, ou seja, a demanda diminui ou aumenta conforme o período do ano.

Além disso, diversos fatores políticos, econômicos e sociais podem interferir no poder de compra da sociedade, de modo que, em alguns momentos, a sua empresa pode ter menos lucro, porém as mesmas dívidas. Por isso, ter um valor reserva é muito importante.

Se você tira dinheiro da empresa para pagar contas pessoais, poderá encontrar-se em um cenário de dificuldade para honrar os compromissos com fornecedores e colaboradores. Nessas situações, é provável que precise recorrer a um empréstimo bancário, com juros altos, que levará o seu negócio para uma bola de neve, que nem sempre é facilmente controlada.

Inadimplência a funcionários e fornecedores

Conforme citamos anteriormente, a ausência de controle de caixa poderá prejudicar o pagamento de funcionários e fornecedores. Assim, você pode ter a suspensão de serviços importantes para a sua empresa e também, problemas judiciais, que geram dívidas trabalhistas preocupantes para qualquer empresário.

Agora que você já entendeu os impactos negativos de não fazer a separação entre as despesas pessoais e as da empresa, deve estar se perguntando sobre como fazer isso, não é mesmo? Então acompanhe a leitura.

Como fazer a separação de maneira adequada?

Para fazer a correta separação das finanças pessoais e da empresa, uma série de boas práticas podem ser realizadas. As principais, são as seguintes.

Utilize um software de gestão financeira

Você pode investir na contratação de um software de gestão financeira para ter maior controle do fluxo de caixa da sua empresa. Existem no mercado programas completos e que podem ser um grande aliado nesse processo.

Além disso, esses softwares também podem ajudar a categorizar despesas e receitas. Assim você poderá saber exatamente o quanto gasta com o salário dos funcionários, com a energia elétrica, com os impostos etc. Isso facilita para identificar gastos exorbitantes e promover economias.

Defina um salário para você

O empreendedor precisa ter em mente que é mais um funcionário da empresa e por isso precisa de um salário fixo. Assim, deve-se estipular um valor mensal para suas despesas pessoais e o restante do montante deixar na empresa.

Caso sobre dinheiro na empresa, ele deve ser investido em melhorias na própria organização ou ser guardado como um caixa reserva. Evite que esse valor sobressaliente seja visto como um lucro extra e passível a ser adicionado ao salário do empresário.

Tenha contas bancárias separadas

Para ter a separação mais organizada, é preciso que você também tenha contas bancárias separadas, sendo uma para uso pessoal e outra para a empresa. Desse modo, será mais fácil organizar as finanças e saber de onde tirar os valores quando for preciso fazer qualquer tipo de pagamento.

E então, conseguiu entender a importância e como separar finanças pessoais e da empresa? Então coloque tudo o que aprendeu em prática e evite de cometer esse erro que pode ser fatal para o seu negócio.

Aproveite a sua visita e continue aprendendo sobre o assunto, faça a leitura do nosso e-book “Como fazer um fluxo de caixa eficiente”. Ele traz excelentes dicas para melhorar a gestão financeira e aumentar os rendimentos do seu negócio.